domingo, 7 de julho de 2013

JOÃO AIRTON HOMENAGEIA O VEREADOR JARDEM SOUSA.

Amaury Carneiro

João Airton
João Airton é ex-secretário municipal de administração de Paraibano (1997/2000), é Administrador, Consultor e Professor Universitário (UESPI, UEMA, IFPI, FAPI). Mestrando em Economia do Setor Público pela Universidade Federal do Ceará. Diretor Administrativo-financeiro da Assoc. dos Administradores do Piauí - AAPI, Servidor Público da Justiça Federal no Piauí.

João Airton, é conhecido de todos aqui neste canal de notícias da web, como colunista de artigo, e era muito amigo do vereador Jardem Sousa, falecido no último dia 29 de maio, em um trágico acidente de automóvel.


Jardem Sousa: jovem, amigo, trabalhador, visionário e preocupado com sua cidade.

por João Airton Santos Porto

Modelo dos Panfletos distribuídos 
na missa de sétimo
dia
do falecimento
do vereador.

Arte :ParaibanomaNews
A semana passada vai ficar marcada como aquela em que Jardem Sousa, 28 anos, vereador da cidade de Paraibano, revelação política e mais promissora promessa de renovação na política local, sofreu acidente automobilístico e posterior falecimento na madrugada do sábado, dia 29 de junho. Daí por diante, presenciei um mar de tristeza como nunca antes tinha presenciado, protagonizado por uma mãe sofrida e desesperada, uma esposa idem e demonstrações populares de solidariedade e sofrimento durante o velório – noite de sábado e madrugada de domingo - e o sepultamento. A sensação era de que eu estava em outra dimensão, num estado de paralisia, indignação, tristeza e perplexidade contínuo, só superado quando cheguei a Teresina – assistir ao jogo entre Brasil e Espanha ajudou a diminuir o desconforto do acontecido mas a lembrança continuará insistindo para que aquela sensação perdure por muito tempo.

Eu conhecia o Jardem desde 1997, quando fui para Paraibano participar da administração do Dr. Zequinha e já percebia que ele era muito esperto e se interessava muito em estar presente às conversas “adultas”, principalmente sobre política. Seu pai era vereador e apoiava a administração naquela época. Outra característica sua marcante, era que ele tinha a perfeita consciência, por ser filho único, de que tinha de se interessar pelos negócios do pai. Ser filho único levou Jardem a ser um jovem diferenciado e assumir responsabilidades incomuns para jovens da sua idade.

Esse relacionamento era fortalecido pela aproximação que Adão Rodrigues, Dr. Zequinha e Lú Rodrigues sempre tiveram com sua mãe, Lúcia, e seu pai, Zé do Geraldo. Jardem sempre dizia que gostava de política e suceder seu pai seria muito natural. Estava no seu DNA.

Em um certo dia, falei para o Jardem que o seu interesse pela política era muito louvável e o aconselhei que era importante continuar estudando, fazer um curso superior para, ao ingressar na política, ter uma visão ampliada e segura dos problemas sociais e suas soluções. Para minha surpresa, Jardem veio para Teresina em 2001, com o intuito de fazer curso superior de Administração, minha área de formação e na qual era professor. Prestou vestibular na Faculdade Adelmar Rosado – FAR, na qual eu era professor, conseguindo aprovação. Nossa convivência foi intensa na faculdade – fui seu professor em duas disciplinas - e também fora dela por que seu apartamento era em um condomínio vizinho ao meu o que facilitava as saídas no final de semana.

Jardem se notabilizava por ser uma pessoa muito alegre, responsável, interessada, um grande ouvinte de conselhos, amiga e, principalmente, equilibrada. Nunca o vi nervoso ou fora da sua normalidade. Sempre enfrentava as dificuldades com muita disposição e aquele sorriso que todos conheciam.

Naquele período em Teresina, era latente o incômodo que Jardem sentia por estar longe da sua terra, dos seus amigos, do seu verdadeiro e querido ambiente. Não demorou muito e Jardem voltou para ajudar o pai, então candidato a prefeito de Paraibano, com a promessa de voltar e terminar o curso. Não voltou mais e começou a participar da rotina do pai, o que o levou a se candidatar e eleger-se vereador na eleição seguinte. Daí para frente, tornou-se um grande empreendedor da política e dos negócios tornando-se o Jardem de duas semanas atrás.

Jardem parece que pressentia o futuro breve que lhe aguardava, viveu prematuramente, intensamente e deixou um legado muito rico. Em uma época, a atual, onde os jovens vão às ruas reivindicar mudanças sem a participação partidária, Jardem arregaçava as mangas e ia em busca de realizar seus sonhos e os dos seus, participando da política e sendo um empreendedor, aquele que faz acontecer, que não espera que caia do céu.

Foi-se o homem, que eu considerava um garoto, no bom sentido, mas ficará eternamente na memória daqueles que o conheciam, o exemplo de amigo fiel, atencioso e companheiro que Jardem foi. Que seus familiares e amigos tenham a força necessária para enfrentar a tristeza desse momento.

WWW.NoticiasdeParaibanoMa.com
“Aqui Você Faz a Notícia”

2 comentários:

  1. Infelizmente houve negligencia medica , ao ponto dos médicos indicados pelos amigos se basearam por raio X da cidade onde sofreu o grave acidente. Temos que descobri culpados dessa fatalidade, desde o motorista da Cacamba, as pessoas que indicaram o medico e os próprios médicos que não constataram que a Bacia estava danificada, tendo que fazer duas cirurgias em menos de 2 dias. Zé do geraldo esta correto quando fala que vai processar toda a equipe medica!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns meu caro João Aírton, você realmente conhecia a fundo a trajetória de nosso inesquecível Jardem, Ele era realmente a pessoa com todas as qualidades citadas em sua matéria e muito mais. Garoto sim, porém um grande homem na política e nos negócios, no qual tratava com muita responsabilidade e dedicação. Que Deus ilumine a sua família nesse momento de profunda dor.

    ResponderExcluir

COMENTE COM EDUCAÇÃO.