terça-feira, 15 de novembro de 2016

NOTÍCIA FALSA SOBRE O BOLSA FAMÍLIA PROVOCA "CONFUSÃO" EM BENEFICIÁRIOS DE PARAIBANO







Milhares de beneficiários em todo o País confundiram extrato anual, referente ao recebimento do benefício, com possível dinheiro “extra” retroativo para um possível recebimento.

Amaury Carneiro
Recentemente, através das redes sociais, se espalhou a informação que beneficiários do Bolsa Família teriam direito a receber um “dinheiro extra” ou “repasse retroativo”. Não se sabe quem criou esse boato e nem porque criou, talvez tenha sido por brincadeira maldosa ou estão interpretando errado o que está exposto no Portal da Transparência do Bolsa Família.



Em Paraibano, assim como em quase todo o País, milhares de beneficiários acreditavam que iriam receber um valor retroativo referente ao benefício; o que causou uma correria às lan houses,  para fazerem consultas na internet e obter mais informações; outras centenas de beneficiários foram inclusive à casa lotérica local e até se deslocaram para as cidades vizinhas na tentativa receber um dinheiro “extra”, houve também àqueles que chegaram a viajar até a cidade de Presidente Dutra/MA, distante quase 200km de Paraibano, também na tentativa de sacar um dinheiro inexistente.

Através do Portal da Transparência todos têm acesso às informações referentes aos valores recebidos por cada beneficiário.

Segundo a coordenação do Programa Bolsa Família – PBF, em Brasília, não existe a possibilidade de pagamento retroativo aos beneficiários do programa, exceto nos casos específicos em que houver a suspensão de repasse e o gestor municipal solicitar o desbloqueio. A coordenação explicou que os Gestores Municipais do Programa Bolsa Família possuem meios de averiguar se há parcelas retroativas a serem pagas, após liberação por meio de verificação nos sistemas (Folha de Pagamento e Sistemas de Benefícios ao Cidadão – SIBEC)”, que é um programa federal de transferência direta de renda, com condicionalidades, voltado para as famílias brasileiras em situação de pobreza e extrema pobreza.

 Portanto, é possível que alguém, em um caso específico, tenha direito a receber algum “dinheiro extra”, mas em relação a essa informação recente vinculada, irresponsavelmente, nas redes sociais, é FALSA.



                                                                                                  Fonte: Ascom/MDSA -
                                                                                                                   Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

COMENTE COM EDUCAÇÃO.